sábado, 8 de dezembro de 2018

É absurdo quantos litros de agrotóxico cada brasileiro consome por ano,2 litros de substâncias tóxicas por ano.

agrotoxicos nos alimentos 116 400x800
FOTOMAN/SHUTTERSTOCK
Os agrotóxicos eram utilizados como venenos para combater pragas que atacavam as plantações, hoje seu uso foi expandido e passou a ser o nome dado aos pesticidas, hormônios, adubos químicos e herbicidas usados nas culturas de vegetais e outros alimentos.
PUBLICIDADE

Brasil usa muito agrotóxico

O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, cabendo a cada brasileiro um consumo médio de 5,2 litros de substâncias tóxicas por ano. Os dados são alarmantes, uma vez que o consumo dessas substância está longe de fazer bem à saúde.

Impactos na saúde

Apesar de serem classificados como seguros, os agrotóxicos são alvo cada vez maior de acusações de diversos problemas de saúde. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), sua utilização excessiva e intensiva tem efeito cumulativo em nosso organismo, podendo causar de intoxicações agudas (como dor de barriga, dor de cabeça e alergias) até problemas como paralisias, intolerâncias alimentares, câncer e problemas neurológicos.
mulher tossindo gripe 0318 400x800
MICHAELHEIM/SHUTTERSTOCK

Danos e intoxicação

Em conformidade com a agência, o INCA também reforça que o modelo de cultivo com o intensivo uso de agrotóxicos gera grandes malefícios, como poluição ambiental e intoxicação de trabalhadores e da população em geral. As intoxicações agudas por agrotóxicos são as mais conhecidas e afetam, principalmente, as pessoas expostas em seu ambiente de trabalho (exposição ocupacional).

Alimentos e agrotóxicos

Acórdão do TCU sobre precatórios do Fundef traz orientações aos Entes

TCU DivulgacaoApós sessão plenária desta quarta-feira, 5 de dezembro, que trouxe uma decisão definitiva sobre os precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), o Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou acórdão. No documento, os ministros orientam para uso do recurso e firmam entendimento que já vinha sendo adotado: de que os valores recebidos a título de complementação da União não estarão submetidos à subvinculação de 60%.
Além disso, o montante – que pode chegar a R$ 95 bilhões – não poderá ser utilizado para pagamentos de rateios, abonos indenizatórios, passivos trabalhistas ou previdenciários, remunerações ordinárias, ou de outras denominações de mesma natureza, aos profissionais da educação. Para a Corte, trata-se de verba indenizatória e extraordinária, portanto não se aplica a subvinculação que é prevista normalmente para remuneração regular dos servidores.
A Confederação Nacional de Municípios (CNM), que vinha defendendo a aplicação em manutenção e desenvolvimento do ensino (MDE), ou seja, em investimento na educação básica pública, comemora a decisão. Outra medida que a entidade celebra é que, segundo o Tribunal, o uso deverá ser definido em cronograma de despesas que se estenda por mais de um exercício financeiro, não estando sujeito ao limite temporal previsto no artigo 21, caput, da Lei 11.494/2007. Ou seja, o recurso poderá ser melhor utilizado nos anos subsequentes, com mais tempo para planejamento das ações.
Ag CNMPlanejamento
O acórdão determina aos entes federados beneficiários e reconhecidos judicialmente que, previamente à utilização desses valores: elaborem plano de aplicação dos recursos compatível com as diretrizes desta deliberação, com o Plano Nacional de Educação (Lei 13.005/2014), com os objetivos básicos das instituições educacionais (artigo 70, caput, da Lei 9.394/1996), e com os respectivos planos estaduais e municiais de educação, em linguagem clara, com informações precisas e os valores envolvidos em cada ação/despesa planejada.
Esse plano deve receber a mais ampla divulgação e ser acompanhado pelos Conselhos do Fundeb, na sua elaboração e na sua execução nos respectivos Estados e Municípios. Para os gestores, que aguardavam decisão para não serem penalizados, essa é uma importante conquista.
A representação acerca de possíveis irregularidades na aplicação dos recursos dos precatórios estava sob relatoria do ministro Walton Alencar Rodrigues, com quem representantes da CNM estiveram um dia antes da sessão para destacar os pleitos dos gestores locais.
Vale lembrar que o Fundef é antecessor ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e que a limitação só diz respeito aos recursos do passado. Os precatórios dizem respeito ao período de 1998 a 2006, em que a União deixou de complementar valores.
Por: Amanda Maia
Foto: TCU/Divulgação; Ag. CNM

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Terror em Humberto de Campos: Bandidos fuzilam quartel da PM e explodem agência do BB

Por volta das 2h da madrugada desta quinta-feira (06), bandidos fortemente armados entraram em Humberto de Campos, metralharam o Quartel da PM e explodiram a agência do Banco do Brasil.
A cidade ficou em pânico por causa das fortes rajadas de tiros e do barulho da explosão da agência, que ficou completamente destruída. A ação foi usada e pareceu como reação ao trabalho exitoso feito pela polícia maranhense que já prendeu mais da metade do bando que assaltou na semana passada o centro de distribuição do Banco do Brasil em Bacabal, com seis assaltantes mortos durante tiroteio.
Veja abaixo como ficou a agência do BB de Humberto de Campos e aguardem novas informações:

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Após intensos tiroteio, assaltantes do BB de Bacabal se rendem e um é morto

São 12 homens presos que estavam trocando tiros com militares na cidade de Santa Luzia do Paruá. Eles estariam levando o dinheiro dentro de um caminhão baú, mas foram interceptados e depois com a chegada do Cosar a situação ficou pior para os bandidos.
os bandidos que foram presos:

Após intensos tiroteio, assaltantes do BB de Bacabal se rendem e um é morto

São 12 homens presos que estavam trocando tiros com militares na cidade de Santa Luzia do Paruá. Eles estariam levando o dinheiro dentro de um caminhão baú, mas foram interceptados e depois com a chegada do Cosar a situação ficou pior para os bandidos.
os bandidos que foram presos:

Um chefe ruim pode adoecer os funcionários

Um chefe ruim pode adoecer os funcionários – O médico, escritor e influencer Travis Bradberry publicou um artigo que aponta que um chefe ruim pode fazer tão mal para a saúde dos funcionários quanto fumar passivamente. E o pior, quanto mais tempo uma pessoa passar trabalhando para alguém que a deixa infeliz, maiores serão os danos para sua saúde mental e física.

Um chefe ruim pode adoecer os funcionários

Dados da Associação de Psicologia dos Estados Unidos, publicados no artigo da revista Quartz revelam que 75% dos trabalhadores americanos consideram seus chefes a maior razão de estresse no trabalho. Contudo, 59% dessas pessoas não largariam o emprego, mesmo infelizes.

Os dados mostram que as pessoas arrumam uma maneira de se conformar com seus empregos, e isso faz com que a decisão de pedir demissão e sair em busca por um ambiente de trabalho mais saudável seja ainda mais postergada.Faz mais mal que cigarro

Muito impressionante também em relação a este assunto são as descobertas de pesquisadores da Harvard Business School e da Universidade de Stanford, ambas nos Estados Unidos. Os pesquisadores reuniram dados provenientes de mais de 200 estudos, e chegaram a conclusão que estresses simples e cotidianos no trabalho podem fazer tão mal a saúde como a exposição a quantidades consideráveis de fumaça do cigarro de outras pessoas.
A razão número 1 causadora de estresse no trabalho, o medo de ser mandado embora, pode aumentar em até 50% os riscos de problemas de saúde. Já um cargo que exige do funcionário mais do que ela/ele pode oferecer aumenta em 35% o risco para a saúde.
Um chefe ruim pode adoecer os funcionários
Um chefe ruim pode adoecer os funcionários

O que fazer

Em muitos casos, os problemas com os superiores podem ser meramente caso de afinidade. Existem, contudo, muitos chefes realmente ruins por aí. Mas como saber em qual situação você se encaixa?
Chefes ruins são geralmente verbalmente agressivos, narcisistas e podem até se tornar violentos. Frases típicas dos chefes ruins são: “Aqui nada funciona se eu não estiver por perto!”, “Nós sempre fizemos assim!” ou “Agradeça que você tem um emprego.”Claro que não é fácil para ninguém largar o emprego e começar tudo de novo, mas a motivação para trabalhar de quem se encontra em uma situação dessas desaparece totalmente. Existem, contudo, algumas dicas para sobreviver essa fase de crise profissional:
  1. Faça uma lista de tarefas e objetivos para o seu dia de trabalho. Cada vez que completar algum item da lista, risque-os da lista. A sensação de ter conseguido realizar alguma coisa, mesmo em um ambiente hostil, vai te ajudar a seguir em frente.
  2. Desligue-se nos finais de semana. Não cheque emails, nem mensagens do trabalho. Passar um tempo sem pensar no trabalho pode te ajudar a recarregar as baterias.

Um chefe ruim pode adoecer os funcionários

Fique sempre por dentro das nossas postagens e se gostou da postagem “Um chefe ruim pode adoecer os funcionários“, não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais e também deixe um comentário aqui em nosso site com sua opinião e sugestões para outras postagens.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

ANAPURUS: APÓS DESCUMPRIR DETERMINAÇÕES PARA PRISÃO DOMICILIAR, EX-PREFEITA TINA MONTELES TEM BENEFÍCIOS REVOGADOS E RECEBE CONDIÇÕES MAIS SEVERAS PARA CUMPRIR SUA PENA.





A ex-prefeita Tina Monteles foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão a uma pena de 5 anos e 10 meses, em regime semi-aberto, por irregularidades processos licitatórios quando era gestora do município de Anapurus em 2004.
Em outubro de 2017, Tina Monteles teve a pena de prisão em uma cadeia substituída por prisão domiciliar, e nessa decisão a juíza Maria da Conceição Privado Rêgo concedeu vários privilégios e mordomias para a ex-prefeita. Tina só deveria se recolher em casa a partir das 23h, exceto nos dias de sábado, quando poderia ficar fora de casa a noite toda. Além disso, Tina poderia transitar livremente entre Anapurus, Mata Roma, Chapadinha e São Luís. Até a multa de pouco mais de 19 mil reais, a juíza parcelou em 70 parcelas.
Com uma prisão dessas, pessoas mal intencionadas podem até acreditar que o crime compensa.
Pois é, mesmo com todos esses benefícios, que faziam com que parecesse que Tina Monteles nem fosse uma condenada da Justiça, a ex-prefeita teimava em descumprir as condições impostas.
Por várias vezes, Tina foi flagrada frequentando festas em outras cidades e em horário não permitido. Em plena campanha política de 2018, Tina promovia reuniões e comícios em sua casa e em bairros de Anapurus, mesmo estando com os direitos políticos suspensos, conforme determina a Constituição Federal.
Mas uma hora a casa cai. Após várias denúncias, a Promotora de Justiça informou o Juiz de execução penal a situação, solicitando que Tina fosse intimada para prestar esclarecimentos sobre o descumprimento da prisão.
Na audiência, realizada no dia 21 de novembro, Tina negou que tenha descumprindo sua prisão domiciliar, mas não adiantou.
O Juiz retirou vários benefícios concedidos à Tina e determinou condições muito mais rigorosas para sua prisão.
Agora Tina deve se recolher em casa a partir das 19h (antes era às 23h); agora Tina pode transitar somente em Anapurus das 8h às 19h, e não pode se ausentar de Anapurus sem autorização judicial (antes podia transitar livremente entre São Luís, Anapurus, Chapadinha e Mata Roma); agora Tina não tem mais o sábado livre, deve estar em casa às 19h, inclusive em domingos e feriados; agora Tina não pode frequentar locais públicos, nem participar ou realizar festar, ainda que em casa, em qualquer época do ano; não pode participar de eventos políticos; e deve comparecer ao fórum a cada 2 meses para justificar suas atividades.
Além disso, disse devia comprovar em até 48 horas o pagamento da multa a que foi condenada.
Mas não é só. Na decisão o juiz já deixou claro que em caso de novo descumprimento das condições impostas, Tina deverá ir para o REGIME FECHADO, com a imediata expedição de mandado de prisão.
Estaremos de olho!

ANAPURUS: APÓS DESCUMPRIR DETERMINAÇÕES PARA PRISÃO DOMICILIAR, EX-PREFEITA TINA MONTELES TEM BENEFÍCIOS REVOGADOS E RECEBE CONDIÇÕES MAIS SEVERAS PARA CUMPRIR SUA PENA.


A ex-prefeita Tina Monteles foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão a uma pena de 5 anos e 10 meses, em regime semi-aberto, por irregularidades processos licitatórios quando era gestora do município de Anapurus em 2004.
Em outubro de 2017, Tina Monteles teve a pena de prisão em uma cadeia substituída por prisão domiciliar, e nessa decisão a juíza Maria da Conceição Privado Rêgo concedeu vários privilégios e mordomias para a ex-prefeita. Tina só deveria se recolher em casa a partir das 23h, exceto nos dias de sábado, quando poderia ficar fora de casa a noite toda. Além disso, Tina poderia transitar livremente entre Anapurus, Mata Roma, Chapadinha e São Luís. Até a multa de pouco mais de 19 mil reais, a juíza parcelou em 70 parcelas.
Com uma prisão dessas, pessoas mal intencionadas podem até acreditar que o crime compensa.
Pois é, mesmo com todos esses benefícios, que faziam com que parecesse que Tina Monteles nem fosse uma condenada da Justiça, a ex-prefeita teimava em descumprir as condições impostas.
Por várias vezes, Tina foi flagrada frequentando festas em outras cidades e em horário não permitido. Em plena campanha política de 2018, Tina promovia reuniões e comícios em sua casa e em bairros de Anapurus, mesmo estando com os direitos políticos suspensos, conforme determina a Constituição Federal.
Mas uma hora a casa cai. Após várias denúncias, a Promotora de Justiça informou o Juiz de execução penal a situação, solicitando que Tina fosse intimada para prestar esclarecimentos sobre o descumprimento da prisão.
Na audiência, realizada no dia 21 de novembro, Tina negou que tenha descumprindo sua prisão domiciliar, mas não adiantou.
O Juiz retirou vários benefícios concedidos à Tina e determinou condições muito mais rigorosas para sua prisão.
Agora Tina deve se recolher em casa a partir das 19h (antes era às 23h); agora Tina pode transitar somente em Anapurus das 8h às 19h, e não pode se ausentar de Anapurus sem autorização judicial (antes podia transitar livremente entre São Luís, Anapurus, Chapadinha e Mata Roma); agora Tina não tem mais o sábado livre, deve estar em casa às 19h, inclusive em domingos e feriados; agora Tina não pode frequentar locais públicos, nem participar ou realizar festar, ainda que em casa, em qualquer época do ano; não pode participar de eventos políticos; e deve comparecer ao fórum a cada 2 meses para justificar suas atividades.
Além disso, disse devia comprovar em até 48 horas o pagamento da multa a que foi condenada.
Mas não é só. Na decisão o juiz já deixou claro que em caso de novo descumprimento das condições impostas, Tina deverá ir para o REGIME FECHADO, com a imediata expedição de mandado de prisão.
Estaremos de olho!